Dicas para abrir sua Cervejaria

Dicas para abrir sua Cervejaria

As microcervejarias artesanais  estão se espalhando, apesar de o setor ainda representar menos de 2% do total da produção nacional e a maior parte delas se concentrarem nas regiões Sul e Sudeste.

A estimativa é de que pelo menos 1000 fábricas já estejam funcionando em vários estados. Hoje, o que antes era hobby de alguns apaixonados pela bebida se tornou um negócio em crescimento. Mas para entrar neste mercado é necessário, além de experiência, a realização de cursos, o conhecimento da legislação específica do setor, e um plano de negócios para se diferenciar no mercado a cada dia mais competitivo.

O mercado atual de microcervejarias pode ser dividido em três categorias: as pequenas cervejarias, que possuem sua própria linha de produção; os brewpubs, que possuem pequenas linhas de produção no próprio local de venda; e as cervejarias ciganas, que terceirizam a produção para indústrias disponíveis.

Preparamos abaixo algumas dicas para quem está pensando em abrir uma cervejaria:

1- Consultar um especialista para liberação do MAPA

Antes de abrir o negócio, o empreendedor deve consultar o plano diretor na Prefeitura para verificar se é possível ou não utilizar determinado imóvel para iniciar o negócio. Da mesma forma, quanto mais precisa for a pesquisa a respeito das necessidades de investimento, menores serão as surpresas quanto à previsão financeira para iniciar o novo negócio. Isso evita a armadilha de afundar em dívidas por falha na programação financeira. A Palemapa, empresa parceira da Palenox, oferece apoio com especialistas do ramo que podem evitar dores de cabeça e prejuízos.

2- Equipamentos Certos

Caso decida por investir em equipamentos para sua própria microcervejaria, além dos equipamentos para a área administrativa e de bar, a área industrial deverá ser constituída por uma sala de brassagem, montada em uma estrutura de aço inox, como tina de mostura/cozinhador de mosto com agitador elétrico, a tina-filtro, o trocador de calor com termômetro e a bomba de transferência, gerador de água fria, tanques para o trato da cerveja, aerador de mosto, moinho, sistema de aquecimento, tanques para maturação da bebida e barris.

Por isso é importante consultar um fornecedor que ajude nessa hora com os equipamentos certos para sua necessidade e capacidade de produção.

3- Cuidados na Higiene

A sanitização e limpeza dos equipamentos são duas partes fundamentais na produção de uma cerveja, seu objetivo é eliminar bactérias e microorganismos indesejados na produção da cerveja.

Os equipamentos que entrarem em contato direto com o mosto resfriado precisam estar principalmente limpos e sanitizados. Para isso existem duas formas: produtos químicos e utilização do calor.

Muitas vezes a “contaminação” em si não é a culpada pela perda da cerveja e sim a falta de boas práticas de fabricação (BPF) do cervejeiro, que permitiu que a contaminação ocorresse.

4- Cursos

Procure cursos de formação Profissional que visam capacitar os participantes em temas variados relacionados ao universo cervejeiro para atuar nos mais diversos segmentos do mercado, incluindo lojas, bares, restaurantes, distribuidores, importadoras e cervejarias. Com pessoas capacitadas  será fácil definir   estilos(rótulos) de cervejas que caíam no gosto dos consumidores.

O profissional estará mais apto a entrar no mercado promissor da cerveja artesanal.