Qual-a-diferença-entre-nanocervejaria-e-microcervejaria

Se, por um lado, é possível apontar diversas peculiaridades que diferenciam a cerveja industrial da cerveja artesanal, a questão fica um pouco mais delicada e difícil de dividir quando colocamos uma lupa sobre o processo artesanal brasileiro.

E, entre as principais dúvidas levantadas nesse sentido encontramos a seguinte: qual é a diferença entre nanocervejaria e microcervejaria? Acontece que a resposta não é facilmente respondida com uma diferenciação padrão, pois as muitas dezenas de cervejarias que encontramos no país, atualmente, contam com particularidades em comum, ainda que difiram em outros aspectos.

Mesmo assim, vamos tentar explicar um pouquinho mais sobre os conceitos de nanocervejaria e microcervejaria para que você tire as suas conclusões. Vamos lá?

O conceito de microcervejaria

Por definição do dicionário, podemos dizer seguramente que nano é menor do que micro, uma vez que o primeiro é dividido por mil milhões – de acordo com a ciência.

Agora, para diferenciar uma microcervejaria das cervejarias que são populares há décadas, no Brasil, podemos apontar que qualquer cervejaria com capacidade produtiva de até 200 mil litros/mês pode se enquadrar no conceito de microcervejaria.

Ao chegar em algo acima desse valor, a conversa é outra: você já é uma cervejaria. Ainda que não seja algo institucionalizado, a definição tem caminhado e se popularizado nesse sentido.
O conceito de nanocervejaria

A nanocervejaria, por sua vez, ficou marcada como um termo pejorativo, embora não tenha nada de ofensivo ou prejudicial na nomenclatura.

Acontece que a conta para estabelecer um parâmetro também gera certa discórdia entre os produtores de cerveja artesanal. Há quem aponte a média de 1.000 litros/mês para se enquadrar no conceito de nanocervejaria, mas existem cervejarias que se intitulam “produtor de cerveja artesanal”, independentemente da quantidade produzida de cerveja.

Assim, o conceito, como um todo, ficou vago e com poucos significados. Mas, aos poucos, começou-se a intitular de nanocervejaria aquele local caseiro, que tem a sua produção própria ou para um seleto grupo de pessoas, que não está rotulado no termo comercial em si.

A diferenciação do conceito de microcervejaria e nanocervejaria

Dessa maneira, com o que vimos até aqui, podemos apontar o seguinte:

• Microcervejaria: é a empresa constituída e legalizada, cuja produção mensal de cerveja artesanal gira em torno de 200 mil litros;
• Nanocervejaria: aquela produção caseira ou amparada por equipamentos para a produção de cerveja artesanal, mas em pequena escala.

Assim, é interessante enxergar e entender o nanoprodutor como aquele que está mais interessado na cultura cervejeira. Ou seja: disseminar os bons costumes e rótulos pelo prazer de beber essa milenar bebida.

O conceito de microcervejaria, assim, ficaria mais com o foco comercial da questão, que ajuda a tomar, gradativamente, uma fatia de mercado maior e consolida a cerveja artesanal como um mercado em expansão, não uma tendência.

Por isso, ambos os conceitos são importantes e devem fazer parte da cultura cervejeira. Cada vez mais inserida no país, com cada vez mais adeptos, degustadores e, claro, produtores – sejam eles micro ou nano.

E você, quer investir mais nessa ideia de fabricar a sua própria cerveja? Compartilhe conosco quais são as suas ideias, para isso, e o que você gostaria mais de fazer com essa produção!